Um pé na eternidade
Quando viu o fotógrafo em acção de disparo, o Dr. Pontes hesitou, expectante, demorando mais um segundo a pousar o pé direito no chão. Ou então, sabe-se lá, teve o pressentimento de que, daquele disparo, sairia uma imagem para a eternidade e suspendeu o tempo - a suspensão do tempo é a condição da eternidade.
Preparava-se o Dr. Pontes para o ritual bi-dário de visitar o seu amigo Zé da Ana, ali a dois passos, onde a mulher do antigo atleta do Desportivo guardava segredo dos melhores carapaus de cebolada, costoletas panadas e pastéis de bacalhau de Torres Novas. Era uma casa afamada, conduzida com mão férrea por mestre Zé Pedro.
Hoje as casas estão caiadas da nossa modernidade, subsiste a calçada com a farmácia em PH, que a criançada da escola olhava com intrigante curiosidade. Tudo mudou, a farmácia mudou-se para longe, o Dr. Pontes viaja agora na dimensão da eternidade. Quem tem 50 anos e por ali passa, continua a vê-lo assomar à porta, como se o tempo estivesse suspenso na memória das coisas carregadas de memórias.
Imagem: Colecção particular

 
O artesão Joaquim Paiva nasceu em Lapas, Torres Novas, em 1930 e faleceu em 2010. Depois da reforma, decidiu dedicar-se a trabalhos em madeira, em geral representativos das suas próprias vivências e referências (músicos, santos, trabalhadores e trabalhos rurais, ofícios). As suas peças figuram em diversas coleções nacionais e internacionais de museus, como o Museu de Antropologia de Bristish Columbia, no Canadá.

 
Formação do Plano Nacional das Artes no Museu Municipal Carlos Reis
Decorreu ontem a primeira sessão da formação “Cuidar: a programação cultural a partir da escola”, dirigida por Elisabete Paiva, no âmbito do portfólio formativo do Plano Nacional das Artes.
Professores e trabalhadores da cultura reuniram-se no Museu Municipal Carlos Reis em torno da contextualização da programação cultural e de como esta pode ser integrada em práticas pedagógicas e sociais, introduzindo o diálogo entre o público escolar e os ecossistemas culturais.
 
 

Da vila: estórias e curiosidades (2)
A última visita
Poderia parecer um plano de um filme neo-realista italiano, mas é apenas a saída das visitas do velho hospital, algures no início da década de 1970 do século passado. Nem sempre fora assim: desde a inauguração do hospital, em 1882, o que havia era uma rampa de terra de acesso à porta principal do edifício.

Calendário

Eventos

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21

Outros sites

Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Ano Europeu do Património Cultural