São antigas as relações comerciais entre a antiga vila da Pederneira, onde residia a comunidade piscatória da actual Nazaré, e Torres Novas. Já na idade média o peixe vinha daquela praia para o mercado de Torres Novas, como se pode constatar nos “Costumes de Torres Novas”, documento do século XIV. Com o início das práticas balneares, em finais do século XIX, a Nazaré passou a ser o destino privilegiado dos torrejanos para o passeio anual a ver o mar, geralmente em Setembro. Passeios de um dia apenas, para a maioria das pessoas: só os mais abonados, uma ínfima elite, possuía meios para passar uns dias nas pensões que então nasciam praticamente junto à linha do mar.
Foi continuando essa relação entre nazarenos e torrejanos: até o futebol servia de pretexto, já que nos anos 20 do século passado o Torres Novas Football Clube tinha o costume de abrir a época com um jogo na Nazaré.
Esta fotografia, dos anos 50, quando a frequência da praia estava um pouco mais democratizada, mostra um grupo de jovens raparigas torrejanas junto à “Casa Almonda”, propriedade de um torrejano. O edifício, situado muito perto do São Miguel, encontra-se na actualidade precisamente assim, sendo o único não recuperado daquela frente urbana da vila. Ainda se nota, vendo com atenção, os vestígios dos letreiros que ostentava nessa década de 50 do século passado.

Calendário

Eventos

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.

Outros sites

Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Ano Europeu do Património Cultural