As formas de relevo são um património coletivo, contribuindo de forma indelével para a construção do sentimento de pertença do indivíduo a um determinado espaço. O ARRIFE da serra de Aire é uma escarpa de falha (geológica) que não passa despercebida a quem vive ou passa por Torres Novas, e que indica o início a sudeste do Maciço Calcário Estremenho.
Na Memória Paroquial do Alqueidão da Serra, redigida pelo prior Antonio Antunez de Mello, em 5 de abril de 1758, identificava-se bem a geomorfologia associada à serra de Aire, e concretizava-se a designação de arrife: “… a povoação do Vale da Serra fica sobindo-se já hum arrife da mesma serra (Serra de Ayres): que hé como hῦa muralha continuada, e serve de degrao para a serra e sobido o arrife faz hῦa grande planície, em que sobresahem muitas pedras e algῦas grandissimas.”
(vista do arrife desde as cercanias das Lapas, desenhada por Alfredo Fernandes Martins)
Martins, Alfredo Fernandes (1949) - «Maciço Calcário Estremenho, Contribuição para um estudo de geografia física.» (Imagem: op. cit, p 71)
Silva, Vasco Jorge Rosa da (2020) - «Serra de Aire em 1758», Nova Augusta, n.º 20, Torres Novas, Câmara Municipal de Torres Novas.

Calendário

Eventos

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.

Outros sites

Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Ano Europeu do Património Cultural