Resgatando a essência que provém dos materiais e da sua diversidade, Jorge Araújo utiliza, nas suas criações, materiais tradicionais (resina, cerâmica, ferro, rendas) que ganham novos efeitos com codificações, descontextualizações, sensações, emoções extraordinariamente diferentes relativamente ao que é o estereótipo do uso da essência desses materiais.

A memória é uma combinação de emoções, sensações, um cruzamento de história. Havendo entre memórias não só histórias mas espaços em branco. 

Para o artista a memória é um elemento importante na sua formação e construção de identidade. Querendo marcar o espectador com uma carga emotiva forte, com formas e estruturas diferentes de uma ousadia dinêmica e força interior. J. Araújo narra as estórias das memórias desde a sua infância a partir dos objetos incorporados na pintura e escultura, acreditando que as suas obras mostram a materialidade do "objectivo vivo" e apresentam a sua Força.

Em exposição na galeria de exposições temporárias do museu de 30 de abril a 22 de Maio.

Calendário

Eventos

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Torres Novas

Outros sites

Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Ano Europeu do Património Cultural