Musealização da Central Hidroelétrica do Caldeirão – Torres Novas // Recolha de memórias e testemunhos dos trabalhadores

Continuamos com a recolha de mais testemunhos orais de trabalhadores para conhecermos melhor o funcionamento da central e as dinâmicas laborais e sociais. Aqui fica o registo do testemunho do Sr. José Manuel Gaveta do piquete de eletricistas da Central:

“(...) Fui trabalhar para a central do Almonda em 1960, como aprendiz. Naquela época fazíamos tudo o que era preciso nos trabalhos de instalação e nas avarias. Eu era aprendiz de eletricista e o nosso encarregado geral era o Sr. José Alves. Uma das primeiras memórias que tenho dos tempos da central foi a eletrificação das aldeias na parte de iluminação pública, pois a rede particular foi feita numa segunda fase. Naquela época, a grande preocupação do patrão Sr. José Maria Tavares, era garantir a eletricidade às aldeias da linha de fronteira com outros concelhos para fazerem de charneira e não nos levarem a clientela, e essas foram as primeiras a serem eletrificadas. Eu fiz Brogueira, Alcorochel, Parceiros tudo por aí a dentro nesses vales e cabeços, Valhelhas, Chícharo... fazíamos tudo à unha. Sempre dois a dois fazíamos os buracos e levantávamos os postes, depois era subir os postes, e passar fio, metros e metros até fazermos as ruas das aldeias. Por exemplo, para transportar uma escada de 25m, sabe como se fazia? - Andávamos dois a dois com a escada no pescoço cada qual em sua bicicleta a segurar as pontas da escada... A ferramenta era pouca e as proteções também... As minhas ferramentas era um alicatezito e pouco mais.

Quando havia alguma avaria e faltava a luz, por vezes para detetar o local exato da avaria, era um problema! só conseguíamos detetar com as interferências do sinal de rádio. Andávamos quilómetros a pé... passámos por muita coisa juntos, conhecíamos o concelho a palmo... Mas havia camaradagem. Pelo menos uma vez no ano, podia ser no 1o de Maio, no Natal, por vezes era também no restaurante durante a Feira de Março, mas havia sempre um almoço. Depois passámos para a EDP, e a nossa vida melhorou muito, passamos a ter melhores condições de trabalho.”

“Uma das maiores festas que eu me lembro da inauguração da luz elétrica foi em Alcorochel, num largo que lá há, o povo montou umas mesas compridas e ofereceram-nos lá um banquete ... foi uma alegria! (...)”

José Manuel Gaveta//Eletricista da Central, Torres Novas, 75 anos

Calendário

Eventos

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.

Outros sites

Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes Ano Europeu do Património Cultural